Sexta-feira, 23 de Março de 2007

A Via Sacra

Sendo o lema de Outeiro Seco “Tradição e Modernidade”, porque estamos na época da Quaresma, lembrei-me de fazer um Post sobre a via sacra que tem uma grande tradição na nossa terra, e está a ser requalificada com alguns retoques de modernidade.
 A via sacra, consiste num exercício em que os fieis, percorrem mentalmente a caminhada de Jesus Cristo a carregar a cruz, desde o pretório de Pilatos onde foi condenado à morte, até ao monte Calvário onde foi crucificado.
Esta prática decorre durante o período da Quaresma, ou seja, a partir da quarta-feira de cinzas, até à sexta-feira santa.
È uma prática que vem dos primórdios do Cristianismo, teve a sua origem na época das cruzadas (séculos XI / XIII) onde os fiéis que então na terra santa, percorriam os lugares sagrados da paixão de Cristo, quiseram reproduzir no ocidente essa mesma peregrinação.
Outeiro Seco, será porventura das aldeias da nossa região, onde o exercício da via sacra mais se venera, a atestá-lo está o nosso calvário, (século XVIII ?) agora em fase de requalificação. As estações são simbolizadas por uma cruz em pedra, a primeira situa-se no centro da aldeia junto à capela do Sr. Do Rosário, as restantes, com uma cadência de 50 a 60 metros, estão ao longo da estrada para norte, até ao Sr. Dos Desamparados.
Todas as sextas-feiras santas do ano, homens e mulheres, jovens e velhos, mantêm essa tradição fazendo este percurso de cerca de mil metros, cantando e rezando trechos alusivos à paixão de Cristo.
Nos restantes dias da Quaresma, a via sacra é realizada na igreja matriz. Aí estão colocados na parede 14 retábulos que simbolizam as 14 estações ou etapas da via dolorosa de Jesus Cristo.
Os primeiros textos conhecidos remontam ao século XV, foram escritos por um peregrino inglês (William Wey) que esteve duas vezes na terra santa.
Mas desde aí têm sido muitas as alterações dos textos utilizados nesta pratica religiosa, uma das últimas foi operada em 1991 pelo Papa João Paulo II.
Os textos são declamados quase sempre por mulheres, apesar da pouca instrução das mesmas, o facto de serem em verso facilitava a sua assimilação.
Em Outeiro Seco no início do século passado, a via sacra era dita pela Sra. Maria dos Anjos, depois por Arminda Afonso (minha avó) Maria Chaves mais conhecida por Marquinhas Jacinto, Maria Pispalhas, mais recentemente por Ester Afonso e Tina São. Entretanto com a chegada do Sr. Padre José Banha na via sacra da sexta-feira santa os textos seleccionados por este são de leitura colectiva.
Mas aquela que eu guardo na minha memória, é a que dizia a Sra. Maria Chaves (Pispalhas) com especial relevo para os versos onde se discriminam os castigos infligidos a Jesus Cristo e os versos finais que terminavam assim:
 
Meu Jesus vou retirar-me
È preciso, vou-me embora
Fazei que eu sempre me lembre
Do que meditei agora.
 
Vou me embora, mas cá fica
Convosco meu coração
Estarei sempre a vossos pés
Em contínua oração
 
Virgem mãe abençoai-me
E pedi sempre a Jesus
Que nos ajude até que o vejamos
Na pátria da eterna luz.
 
Postal de Lisboa
Nuno Santos
Fontes: Wilkipédia e Esmeralda Afonso
sinto-me:
publicado por outeiroseco às 21:12
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Março de 2007

Corrida de Páscoa

Aí está a maior prova de atletismo da região, conhecida por Corrida da Páscoa, organizada pela Casa de Cultura de Outeiro Seco.
 É já na Sexta Feira Santa, 6 de Abril e destina-se a todos os escalões etários, mas a partida da prova rainha está marcada para às 11 horas.
As inscrições decorrem até ao próprio dia, meia hora antes do início da prova principal.
Desde o ano passado, decorre simultaneamente uma marcha, sem carácter competitivo.
Cada ano que passa a prova principal é mais participada, contando com a presença de mais de uma centena de atletas de âmbito local, regional e nacional.
É uma verdadeira festa do atletismo, a população local adere e a cidade agradece a passagem dos atletas.
sinto-me:
tags:
publicado por outeiroseco às 21:47
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Março de 2007

Solar dos Montalvões

O Solar dos Montalvões foi mandado construir pelo capitão de cavalos José Álvares Ferreira no primeiro quartel do séc. XVIII. Foi construído em duas fases distintas. A primeira, a mais nobre, a Poente, é constituída por três pisos, formando a frontaria, tendo bonita capela e portão principal, este encimado pelo respectivo brasão dos Ferreiras e Álvares.
A segunda parte, a Nascente e Sul, mais dedicada às actividades agrícolas, foi construída mais tarde, em 1782.
O último usufrutuário efectivo possuidor do solar foi o Dr. Maria Ferreira Montalvão.
O Solar dos Montalvões é propriedade da Câmara Municipal de Chaves, desde 1986, tendo sido adquirido, com o propósito de ser instalado um parque de campismo, nos terrenos anexos pertencentes à Quinta. Mais tarde foi entregue à UTAD para ser instalado a Pólo da Universidade, facto que nunca se verificou.
O Solar pode ser visita exteriormente, mantendo-se em bom estado de conservação.
A localidade tem desfrutado do Pátio do Solar para actividades lúdico/culturais desenvolvidas pela Casa de Cultura, Associação “Mãos Amigas” e Junta de Freguesia.
Espera-se que a devolução à Autarquia aconteça o mais rápido possível, para que os sonhos e projectos se tornem efectivos.
sinto-me:
publicado por outeiroseco às 19:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.Mais sobre mim

.E-Mail

outeiro_seco@sapo.pt

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Posts recentes

. Quem conhece as atletas d...

. Que 2007 traga tudo do me...

. A todos um bom Natal...a ...

. A minha era um pouco mais...

. Faleceu a Srª Eugenia Adr...

. Aleluia... tardou mas che...

. Homenagem aos Outeiroseca...

. Vamos todos aos Santos..a...

. Museu Alberto Sampaio - G...

. Ainda o São Miguel 2016.....

.Links

.Arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. desporto

. história

. património

. primavera

. aldeia

. cultura

. direitos e deveres

. igreja

. mundo

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.As minhas fotos

.Visitas


View My Stats