Terça-feira, 24 de Abril de 2007

Abril, em Outeiro Seco

 
Na boa tradição popular, ao mês de Abril estão ligados vários provérbios, ligados às nossas vivências rurais e campesinas como: “Abril águas mil”; “Em Abril mete os porcos ao covil”; “Abril frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado”.
A partir do ano de 1974, o mês de Abril traz-nos outras referências, o da modernidade e do progresso.
Sem querer fazer um estudo sociológico e político de Outeiro Seco à época, sobre o progresso direi que em matéria de habitações, tinha-mos praticamente as mesmas fronteiras da década de cinquenta.
A norte da Sra. da Portela, havia apenas a casa do Sr. Augusto Escaleira, de construção recente. A sul da Sra. da Azinheira, havia a casa do Sr. Domingos Madaleno, e do Sr. Afonso, mais duas ou três na Ribalta.
Hoje, quem vem de Chaves para Outeiro Seco, não fosse a placa de sinalização, não saberia qual a nossa delimitação.
Mas não foi só no capítulo da habitação, o progresso operado. Se nos situarmos na área da cultura, apesar de estarmos paredes meias com a cidade, pouco ou nada se passava.
Havia a festa da sra. da Azinheira, e do S. Miguel. Uns jogos de futebol num campo exíguo e enlameado, que em vez de rectangular, tinha a forma de um bacalhau. Havia ainda uns bailes na rua, ao som de um gira discos a pilhas, e músicas do Roberto Carlos e do Adamo.
Foi com a dinâmica de Abril de 1974, que a juventude e a restante população de Outeiro Seco, criou a sua Casa de Cultura, motor de todo o movimento associativo, cultural e desportivo, do qual tanto nos orgulhamos, nestas ultimas três décadas.
Mas na vida, tudo é composto de mudança, e se há alguma tendência para se deixar cair no esquecimento o que este Abril nos deu, aqui fica um apelo a todos os outeiro secanos, para que reforcem os valores nascidos em Abril, como o associativismo, a união e cooperação, mas sobretudo, a consideração e amizade.
Nuno Santos
Na boa
tags:
publicado por outeiroseco às 20:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Em Outeiro Seco o desporto mais praticado, desde sempre, foi o futebol

Decorria o ano de 1928 e como nos contou o Sr António Dias, já falecido, após ter cumprido o serviço militar, decidiu comprar uma bola, que custou na época setenta mil reis.
Os primeiros desafios ocorreram nas lameiras junto ao rio Tâmega, sendo mais tarde transferido para o lugar das Antas, onde se instala o actual campo de futebol.
Desde essa época até à meia dúzia de anos atrás, jogou-se futebol, em Outeiro Seco, sempre amador. Os mais jovens praticaram este desporto, nos adros das igrejas, nos largos da aldeia, no recreio da escola ou mesmo nas eiras de malhar o centeio.
Os jogos dos mais crescidos foram realizados com outras localidades, Vila Verde da Raia, Santo Estêvão, Faiões, Torre de Ervededo, Calvão, Santo António de Monforte, Vila Nova de Veiga e mesmo Feces, criando-se muitas amizades, havendo por vezes algumas desavenças. Tudo terminava em bem, com o respectivo lanche convívio final.
A participação em torneios, marcou de uma forma gloriosa a presença das nossas equipas. A título de exemplo recordamos as três finais consecutivas num torneio de Santo Estêvão, campeões em Vilarelho e em Vila Nova, finalistas no torneio de Feces, bons resultados no torneio futebol de sete da Associação Desportiva Flaviense e de salão dos Bombeiros, …
O tradicional jogo solteiro/casados, realizado dias antes da festa em honra de Nª Srª da Azinheira, único disputado anualmente, está a ser transferido para o polidesportivo.
Este recinto, mais próximo da localidade tem uma maior utilização. Aí realizam-se treinos no final da tarde e jogos ao fim de semana. Os mais usuais são o torneio inter bairros (Casa de Cultura de O. Seco), inter-freguesias (Câmara Municipal de Chaves), e jogos esporádicos com especial curiosidade, o destinado a atletas com idades superiores a  35 anos.
Com menos jovens na localidade e com outros divertimentos o futebol ocupa hoje um espaço de lazer e de menor importância que noutros tempos.
tags:
publicado por outeiroseco às 20:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Abril de 2007

Outeiro Seco: cultura, desporto e recreação

Outeiro Seco desenvolveu, neste fim da Páscoa, um conjunto de actividades de âmbito cultural, recreativa e desportiva que a seguir se descrevem telegraficamente.
Via Sacra - Sexta-feira Santa, pelas 8 horas decorreu a tradicional Via Sacra, com uma elevada participação da população, estando a decorrer as obras de melhoramento na via e nas cruzes do calvário.
Corrida da Páscoa - Pelas 10 horas, do mesmo dia, deu-se início à 19ª edição da Corrida da Páscoa, destinada a todos os escalões etários, uma organização da Casa de Cultura de Outeiro Seco.
Também aqui a participação foi muito elevada, com destaque para a marcha e a corrida principal (mais de uma centena de atletas, vindos dos mais distinto pontos do País).
Contámos com a presença do Presidente da Câmara Dr. João Batista, Vereador do desporto, Arqº Penas e Dr. Ramos, Prof. Couto, Coordenador do desporto do Inatel, que procederam às entregas dos prémios.
A organização esteve em bom nível e a população aderiu à iniciativa.
Torneio de Futsal – decorre durante o fim-de-semana um torneio de futsal, organizado por jovens da localidade, com objectivos desportivos, de convívio e de recolha de fundos para a electrificação do polidesportivo. Participam doze equipas de várias localidades e está a decorrer com elevado civismo. No Domingo realizam-se as finais.
Convívio de Páscoa – a Banda Musical da Casa de Cultura vai realizar no Domingo de Páscoa, no Largo do Tanque, o seu tradicional concerto, sendo uma iniciativa da respectiva Associação. A População adere à iniciativa e só esperamos que o tempo ajude.
A Associação “Mãos Amigas” irá estar presença com um stand que prestará todas as informações e procederá à angariação de novos sócios.
publicado por outeiroseco às 18:56
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Outeiro Seco no Mundo

 

 
Outeiro Seco, sendo uma aldeia pequena, amputada que foi do lugar de Sta. Cruz, tem a sua diáspora espalhada pelos quatro cantos do mundo, e digo bem quatro, pois dos cinco continentes que compõem o globo, vivem de momento, outeiro secanos em quatro, na Europa, Africa, América e Oceania, só não me lembro de alguém que viva na Ásia.
Na Europa, vivem sobretudo em França, Espanha, Alemanha, Inglaterra ou na Holanda. Na América, repartem-se entre a América do Norte (USA) e a América do Sul (Brasil). Há ainda outeiro secanos, na África (Angola) e na Oceania (Austrália).     
Este postal que habitualmente é escrito de Lisboa, está a ser escrito da Holanda, mais concrectamente da cidade de Delft, onde vive o meu filho, actualmente estudante neste país.  
Para quem não conhece a Holanda, recomendo a sua visita. É um país pintado de verde, Em Portugal, há um pouco de semelhança como as lezírias do Ribatejo, mas apenas pela planura da sua superfície.
Não existe granito ou qualquer outra rocha, as demarcações de terrenos são feitas com diques de água, os terrenos são ocupados com extensas pastagens, estufas, ou ainda, com plantações de tulipas de várias cores que dão o efeito de grandes telas pintadas. A Holanda, é uma das economias mais fortes da europa, fruto da exploração de petróleo no Mar do Norte, mas também, da sua indústria altamente especializada que se impõe no mundo, pela sua qualidade e não pelos seus baixos custos de produção. Apesar de ter uma lingua própria, todos os holandeses falam no mínimo, duas a três linguas alternativas, o inglês o alemão ou francês.
Como foi um país colonial, é por isso um país multicultural, com especial predominância para, surinamis e turcos. A emigração portuguesa não tem grande expressão, mas não deixa de haver sinais da mesma, em Roterdão, têm mesmo um lugar de concentração, o Café Lisboa, onde se fala exclusivamente o português. No dia do Benfica-Porto, passei por lá, mas, duas horas antes do jogo já estava repleto, ouvi depois o relato na TSF, em on line no computador.
Para quem visita a Holanda pela primeira vez, o que mais o impressiona, são os parques de bicicleta, junto ás estações de comboios, são aos milhares. Aqui o carro é um bem supérfluo, pois têm uma rede de comboios que cobrem todo o país em tempo útil, tornando de facto o carro dispensável.     
Quanto ao custo de vida, apesar da incomparabilidade dos salários, bem mais altos que os nossos, há bens essenciais que são práticamete aos preço de Portugal o que aumenta a qualidade de vida dos seus residentes.
Mas vivendo na Holanda, em Angola, ou no Brasil, as origens estão sempre presentes, assim no próximo sábado, aqui em Delft, vai ser feito o folar transmontano, com ovos e farinha holandesa, mas com linguiças e carne transmontana compradas na feira do fumeiro de Montalegre. Mas o pensamento vai estar seguramente em Outeiro Seco, na corrida da Páscoa, na nossa banda que toca no largo do tanque, na restante família e amigos que em razão desta quadra festiva se deslocou de vários pontos do país também eles para amenizar saudades.
 
tags:
publicado por outeiroseco às 18:45
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre mim

.E-Mail

outeiro_seco@sapo.pt

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Posts recentes

. Quem conhece as atletas d...

. Que 2007 traga tudo do me...

. A todos um bom Natal...a ...

. A minha era um pouco mais...

. Faleceu a Srª Eugenia Adr...

. Aleluia... tardou mas che...

. Homenagem aos Outeiroseca...

. Vamos todos aos Santos..a...

. Museu Alberto Sampaio - G...

. Ainda o São Miguel 2016.....

.Links

.Arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. desporto

. história

. património

. primavera

. aldeia

. cultura

. direitos e deveres

. igreja

. mundo

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.As minhas fotos

.Visitas


View My Stats