Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Senhor dos Desamparados

outeiroseco, 04.07.07

 

 

Até Abril do ano de 1924, esteve desamparado na velha estrada da Torre, no lugar da Teixugueira. Foi por influência do Sr. Padre Albano Dias, natural de Outeiro Seco, à época também pároco desta freguesia, que o Sr. Dos Desamparados, foi transmudado para o local onde agora se encontra, o cruzamento do caminho do Almeirinho, com a estrada municipal.

A mudança mobilizou várias juntas de bois e a força de braços de homens do povo, que pedra a pedra, o trouxeram e reconstruíram, tal como pode agora ser observado, admirado mas também adorado, como se constata pelas flores que regularmente se encontram colocadas junto da cruz, em sinal de culto.

É provável que o Sr. Dos Desamparados, assim como o São Caetano, estivessem integrados nos caminhos de Santiago. O desvio do trânsito das terras de Ervededo, para Vilela Seca, tornou esta via num caminho rural, utilizado apenas pelos proprietários dos terrenos.

Foi esse isolamento e a falta de culto que esteve na origem desta mudança. Outra razão não menos importante para a mudança, foi o enquadramento que o Sr. Dos Desamparados dá agora na nova localização ao calvário da via sacra.

Actualmente, de isolamento não se pode queixar, serve de portagem a todos os que entram em Outeiro Seco pelo norte, está junto à Escola Superior de Saúde, tem por companhia algumas centenas de estudantes, e está situado ao lado de uma rotunda, que num futuro breve esperamos, seja uma via estruturante para a modernidade e progresso não só de Outeiro Seco como de toda a região.

Nuno Santos

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.