Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Caiu neve em Chaves e arredores

outeiroseco, 29.11.08

A neve caiu, na noite passada, na nossa terra, sobretudo nos pontos altos. Algumas estradas estiveram mesmo interrompidas.

Em tempos antigos caía com muito frequência, mas agora com as mudanças climatéricas acontece menos vezes.

Por isso quando vem é uma alegria. As crianças adoram brincar com a neve e em tempos de meninice relembro momentos muito agradáveis.

Aqui deixamos um excerto de uma poesia muito conhecida de Augusto Gil

 

BALADA DA NEVE

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
– Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

….

Augusto César Ferreira Gil (1873-1929)