Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Nó Rodoviário em Outeiro Seco

outeiroseco, 25.05.09

Já iniciaram os trabalhos da construção do Nó Rodoviário da A24 na Zona Empresarial de Outeiro Seco. Os pequenos problemas com as expropriações estão resolvidos e as obras avançam em bom ritmo. Será uma obra fundamental para desenvolver esta Zona Industrial, comercial e de serviços, onde a Plataforma Logística será a mais beneficiada.

Acabem lá as obras que agradecemos, em prol do desenvolvimento regional e especialmente da nossa localidade.

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Nuno Santos 27.05.2009

    Olá Sr. Américo,
    Sou sobrinho do seu cunhado Norberto, filho da Esmeralda. Pela amizade e colaboração com o Administrador do blog, tomo eu a iniciativa de lhe responder. As fotografias publicadas são do lugar do Barro Vermelho e de Pedrianes, locais onde estão a decorrer as obras do nó de ligação à auto estrada, A 24. Essas obras referem-se por enquanto só à parte norte do nó em construção. As obras do lado sul ainda não se iniciaram, e irão apanhar as vinhas dos Barrocos, nomeadamente as vinhas de seus sobrinhos, Vitor e Paulo, quer do lado nascente quer poente da estrada municipal.
    Quanto ao caminho da Mó até ao Sabugueiro, mantém-se como caminho rural, tal como o conheceu no passado, a estrada é mais lateral e passou pela quinta do Sr. Manuel da Cruz, terras dos Gregórios, Vila Frades e Pispalhas, cruzando com a anterior estrada municipal perto da Sra da Azinheira. O caminho para as Portelas apesar de poderem aí transitar automóveis, por cedência dos Montalvões na Lamarelha, mantém-se ainda em terra batida e termina na Auto Estrada. A passagem para Bustelo faz-se apenas no Seara. Quanto à mina onde bebeu muitas vezes, parece-me estar a referir-se à fonte do encanto, que ficava mais próxima das vossas vinhas das Portelas. A mina do cabeço e donde vem a água que abastece agora dois fontanários, um no Eiró junto à antiga escola, outro junto ao adro da sra do Rosário, essa mina era dos Farias, recentemente a Henriqueta Faria (minha sogra) vendeu ao Arlindo Gonçalves, filho de João Gonçalo.
    Um abraço aí para o Rio, já é tempo de nos fazer uma visita e conhecer as novas gerações da família que não para de crescer.
    Nuno Afonso dos Santos

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.