Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Nossa Sra das Graças

outeiroseco, 27.05.09

Continuando na divulgação do nosso património cultural e religioso, iremos hoje mostrar mais uma das nossas jóias a Sra das Graças.

Porque estamos em Maio, mês ao qual a religião católica dedica o culto de Maria, na nossa igreja matriz pelas 21 horas, realiza-se também esse culto, congregando diariamente algumas dezenas de pessoas, com particular realce para o sexo feminino mais idoso.

O culto da senhora das Graças faz-se através da sua imagem em altares, mas sobretudo, através de medalhas de ouro ou prata. A senhora das Graças é apresentada de pé sobre um globo e das suas mãos saiem uns raios de luz. Para os que não conhecem a origem do seu culto, aqui fica uma breve história.

As aparições de Nossa Senhora remontam ao século XIX, tendo ocorrido as primeiras aparições todas elas em França, país que nesse período, passou por grandes conturbações sociais. A primeira aparição aconteceu em Paris no ano de 1830, onde nossa Senhora, apareceu a Santa Catarina Labouré.

A segunda aconteceu em La Salette no ano de 1946. A terceira no ano de 1958 em Lourdes, sempre em França, e finalmente no ano de 1917 em Fátima, Portugal.

Apesar de todas estas aparições terem sempre como denominador comum a virgem Maria, para a posteridade ficou conhecida por vários nomes. Um desses nomes e que agora destacamos neste post, foi o da Nossa Senhora das Graças, nome pelo qual ela se intitulou em Paris, quando se apresentou a Santa Catarina Labouré e lhe disse: 

“Este globo que vês representa o mundo inteiro e especialmente a França, e cada pessoa em particular. Os raios, são o símbolo das Graças que derramo sobre as pessoas que mas pedem. Os raios mais espessos correspondem às graças que as pessoas se recordam de pedir. Os raios mais delgados correspondem às graças que as pessoas não se lembram de pedir.”

A nossa Senhora das Graças, tal como manda a tradição, foi recentemente mandada restaurar. O custo desta restauração foi suportado por um crente que lhe pediu a graça para lhe restituir a saúde. O nosso património com esta acção, ficou agora mais enriquecido, esperamos que a senhora das graças faça agora a sua parte e conceda a graça que o nosso amigo lhe pediu.

Nuno Santos

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.