Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco - Srª da Portela

outeiroseco, 16.10.07

 

Sra. da Portela

Parte II

Esta capela à semelhança das outras que existem em Outeiro Seco, não é muito objecto de culto. Que me lembre foram aqui celebrados um ou dois casamentos. Não fora as suas zeladoras, durante muitos anos a Sra. Maria Gonçala, actualmente a Sra. Eugénia Bernardo, abrirem as portas para substituir as flores ou as toalhas do altar, e ninguém se lembraria da Sra. da Portela.   

No entanto o seu exterior tem sido objecto de algumas obras de requalificação, mas, como é habitual nestas circunstâncias, com alguma polémica à mistura, porque se torna difícil agradar a todos.

Os mais velhos estarão por certo recordados do velho cabide, onde aos domingos os namorados se resguardavam, para às escondidas trocarem alguns beijos furtivos. Também os guardas fiscais aqui se escondiam, para fazerem a espera às contrabandistas que vinham de Feces de Abajo, pelo caminho das Antas, um dos trilhos do contrabando.

Ora, como o telhado do cabide precisasse de obras e houvesse um movimento que defendia que a capela deveria estar descoberta, por iniciativa do então presidente da Junta de Freguesia, Eurico Rodrigues Afonso, à época responsável por todo o património da aldeia, civil ou religioso, foi então retirado o cabide e as colunas de pedra que o suportavam, colunas estas utilizadas na cobertura do coreto dos solteiros.

Por via da contestação à obra a oferta de um emigrante (Manuel do Rio) para custear o acabamento do coreto, acabou por não ser retida, ficando o Sr. Eurico, como credor das obras até final do seu mandato.

Anos mais tarde, o cabide acabou por ser reposto, ficando a dúvida se valoriza ou não a capela. De lembrar que também a igreja da Sra. da Azinheira, chegou a ter cabide, retirado no início do século XX.

A imagem da Sra. da Portela além de valiosa é muito bonita. É em madeira, pintada, mas a sua idade, e as próprias condições climáticas da própria capela, têm contribuído para a sua progressiva degradação. Felizmente alguém reparou na Sra. da Portela e por isso está em vias de ser requalificada. Apelo ao apoio de toda a população para a restauração desta jóia do nosso património. Pena é que durante alguns períodos do ano, em especial aos domingos, esta e outras capelas não possam estar abertas ao público, para que todos possam admirar o nosso património salvaguardado claro está a segurança do mesmo.

Nuno Santos