Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco - Srª da Portela

outeiroseco, 16.10.07

 

Sra. da Portela

Parte II

Esta capela à semelhança das outras que existem em Outeiro Seco, não é muito objecto de culto. Que me lembre foram aqui celebrados um ou dois casamentos. Não fora as suas zeladoras, durante muitos anos a Sra. Maria Gonçala, actualmente a Sra. Eugénia Bernardo, abrirem as portas para substituir as flores ou as toalhas do altar, e ninguém se lembraria da Sra. da Portela.   

No entanto o seu exterior tem sido objecto de algumas obras de requalificação, mas, como é habitual nestas circunstâncias, com alguma polémica à mistura, porque se torna difícil agradar a todos.

Os mais velhos estarão por certo recordados do velho cabide, onde aos domingos os namorados se resguardavam, para às escondidas trocarem alguns beijos furtivos. Também os guardas fiscais aqui se escondiam, para fazerem a espera às contrabandistas que vinham de Feces de Abajo, pelo caminho das Antas, um dos trilhos do contrabando.

Ora, como o telhado do cabide precisasse de obras e houvesse um movimento que defendia que a capela deveria estar descoberta, por iniciativa do então presidente da Junta de Freguesia, Eurico Rodrigues Afonso, à época responsável por todo o património da aldeia, civil ou religioso, foi então retirado o cabide e as colunas de pedra que o suportavam, colunas estas utilizadas na cobertura do coreto dos solteiros.

Por via da contestação à obra a oferta de um emigrante (Manuel do Rio) para custear o acabamento do coreto, acabou por não ser retida, ficando o Sr. Eurico, como credor das obras até final do seu mandato.

Anos mais tarde, o cabide acabou por ser reposto, ficando a dúvida se valoriza ou não a capela. De lembrar que também a igreja da Sra. da Azinheira, chegou a ter cabide, retirado no início do século XX.

A imagem da Sra. da Portela além de valiosa é muito bonita. É em madeira, pintada, mas a sua idade, e as próprias condições climáticas da própria capela, têm contribuído para a sua progressiva degradação. Felizmente alguém reparou na Sra. da Portela e por isso está em vias de ser requalificada. Apelo ao apoio de toda a população para a restauração desta jóia do nosso património. Pena é que durante alguns períodos do ano, em especial aos domingos, esta e outras capelas não possam estar abertas ao público, para que todos possam admirar o nosso património salvaguardado claro está a segurança do mesmo.

Nuno Santos

 

 

 

Srª da Portela

outeiroseco, 15.10.07

 

 

A Sra. da Portela

 

A senhora da Portela

Tem uma fita amarela

Que lha deram os soldados

 Quando vieram da Guerra.

Durante anos a capela da Sra. da Portela foi a porta de entrada em Outeiro Seco, para os que vinham de norte ou de nordeste. Actualmente a capela está já absorvida pela urbe, fruto do desenvolvimento urbanístico dos últimos anos, habitacional e industrial.

É uma capela muito antiga, não sabemos o ano da sua construção. Sabemos que já existia no século IXX, quando por ali passou o exército francês, na II invasão francesa.

Ao contrário do General Silveira, comandante da praça de Chaves que abandonou a cidade, para depois a reconquistar, quando o exército francês retomasse a marcha para sul. Consta-se que em Outeiro Seco, um capitão de Cavalaria, de nome José Maria Ferreira, com um grupo de camponeses munidos de forquilhas, decidiu afrontar os franceses. Verdade ou ficção, jamais se saberá, mas a verdade é que o nosso capitão está sepultado na capela da Sra. da Portela, onde se pode visitar o seu túmulo.

Em matéria de soldados, a Sra. da Portela, tem muito mais para contar. No dia 8 de Julho de 1912, por aqui passou já sob prisão, o Marquês do Lavradio, homem forte do movimento monárquico de Paiva Couceiro, preso um pouco mais a norte, no lugar do Almeirinho. Nesse mesmo dia, passou também a coluna do comandante Sousa Dias, a caminho da Cocanha, local onde se travou a batalha que consolidou a república. 

Talvez a Sra. da Portela seja mesmo a protectora dos soldados. Por isso os sete soldados de Outeiro Seco que estiveram na guerra mundial de 1914-1918,  e se bateram na célebre batalha de La Lys, regressaram todos sãos e salvos, e lhe ofertaram a fita amarela, em sinal de reconhecimento e protecção que a imagem ainda hoje conserva.

Na década de sessenta, durante o período da guerra colonial, muitas mães de Outeiro Seco, fizeram novenas à sra. da Portela para lhes proteger os filhos lá longe na guerra em África.

Nuno Santos       ( Continua )

 

1992 - Inauguração da sede

outeiroseco, 14.10.07

29 de Setembro de 1992

Acto inaugural da sede da Casa de Cultura de Outeiro Seco.

Esta foto retrata os cumprimentos de boas vindas, de todos os elementos dos órgãos sociais (à excepção do Altino e Vasco) ao Engº Nuno Ribeiro da Silva, Secretário de Estado da Juventude, acompanhado pelo Presidente da Assembleia Geral, Manuel Ferrador. É possível ver ao fundo o Governador Civil, Dr. Aires Querubim. Contámos com a presença de outras individualidades que muito honraram a festa de inauguração.

Passados 15 anos, muitas foram as acções desenvolvidas, que se torna necessário registar e divulgar.

Agora está na hora de novas eleições para os Órgãos Sociais. Os compromissos estão assumidos – continuidade da Banda Musical, Corrida da Páscoa, abertura da sede social, actividades desportivas, culturais e recreativas. Da parte desta página daremos toda a força à divulgação das iniciativas.

A freguesia precisa da Casa de Cultura viva e disponível para animar as pessoas e levar longe o nome de Outeiro Seco.

 

 

Outeiro Seco rasga novos horizontes

outeiroseco, 12.10.07

 

Os trabalhos continuam na colocação da tubagem que conduzirá  a água da Mina do Sr Arlindo a Outeiro Seco.

Estão enterrados cerca de 600 m, estando, neste momento, junto à antiga presa da serração, documentado pela bonita foto. Estes trabalhos permitem conhecer locais de difícil acesso mas de rara beleza.

Hoje tivemos a visita do amigo Ulisses, que se fez sempre acompanhar de refrescantes e dando muita força aos intervenientes.

Amanhã, Sábado, vamos continuar com os trabalhos, em duas frentes - continuar a meter mais 200 metros de tubo e acabar os trabalhos do caminho da "Maçaina", sempre pelo progresso da nossa terra.

 

 

Novas vias e água da mina

outeiroseco, 11.10.07

 

As fotos documentam duas obras importantes para o progresso de Outeiro Seco.

A 1ª retrata a nova via que liga a rotunda do Sr dos Desamparados à zona empresarial. Será dotada de todas as infra-estruturas importantes para o apetrechamento do parque empresarial, nomeadamente o gás canalizado natural, água canalizada das empresa Águas de Portugal ..

A 2ª foto mostra a canalização que levará água da mina do Sr Arlindo Gonçalves a Outeiro Seco. As obras começaram ontem, Quarta feira e já estão enterrados 400 m de tubo, graças à excelente colaboração dos proprietários dos lameiros, que a seu tempo anunciaremos, e que permitiu andar mais rápido.

Vamos ver se conseguimos chegar com o tubo ao Solar dos Montalvões. O magnifico tempo tem colaborado.

Daremos mais notícias sobre esta importante intervenção.

Outras intervenções comecarão em breve - parte superior dos balneários e rua central.

 

 

Banda Musical de Outeiro Seco

outeiroseco, 07.10.07

Banda Musical da Casa de Cultura de Outeiro Seco

Constitui uma das bandeiras da cultura local. Fruto de muito trabalho, amor e persistência

 tem sido possível garantir, com qualidade, a sua continuidade.

Deve merecer de todos o maior apoio e carinho.

Aproxima-se o término do mandato dos actuais dirigentes.

É tempo de se reflectir sobre a disponibilidade, para esta tarefa de participar nos órgãos sociais, para que haja continuidade na acção.

 

 

Pág. 2/2