Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Muitas felicidades pelo 60º Aniversário de casamento

outeiroseco, 21.01.10

É  com muito gosto que o Blog  se se associa ao aniversário deste casal, desejando-lhe muita saúde e muitos anos de vida. Parabéns a toda a familia pela efeméride e  obrigado pela colaboração prestada  neste post. Transcrevemos um texto da sua neta Laura:

Aos avós

A vida começou há já muito tempo, e o amor parece tê-la acompanhado desde sempre. Podemos adiantar-nos a dizer que é feliz quem assim se encontra, e no caso do avô António e da avó Henriqueta não nos enganamos.

Conheceram-se há 68 anos atrás, tinha a Henriqueta 15 anos e o António 18. Esses primeiros oito anos foram dedicados a um namoro unicamente contemplativo, em que os dois se limitaram a olhar-se e avaliar-se à distância, tendo apenas permissão para umas curtas conversas à porta de casa. Mas isso não esmoreceu nenhum deles.

Depois do casamento, capturado na fotografia a preto e branco emoldurada da sala de casa, tiveram quatro filhas distintas, bonitas e bondosas, e por elas cresceu a família. Os genros foram acolhidos com agrado, e ao longo dos anos foram chegando os netos, um total de seis. A casa grande dos avós tornou-se um segundo lar para todos e o local de reunião por excelência.

A avó é, na verdade, uma artista para mandar, como lhe costumamos dizer, uma líder de cabeça fresca que gosta de ter tudo pronto atempadamente, e que tudo seja feito com esmero, de preferência à sua maneira. A aliança está-lhe vincada no dedo, não dá já para sair, e ela é feliz pelo que conseguiu de mais importante na vida: a família.

O avô quer o caminho e o monte para andar, quer a agenda do dia cheia para dar largas aos seus pés e mãos irrequietos. Traz depois para casa as conversas e histórias de uma vida de todos os dias, e daquilo que fazemos com ela. A quantidade de histórias que aquelas mãos têm por dentro! E os olhos continuam-lhe brilhando como pirilampos.

Estes são os avós que trazemos no peito e na lembrança, a quem damos os parabéns neste dia e em todos os outros, como um eterno agradecimento.

Muitas felicidades vos aguardem.

Da família que vos ama
Laura Moura

 

43 comentários

Comentar post

Pág. 1/3