Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

O gato preto

outeiroseco, 22.03.11

 Já todos ouvimos e lemos histórias fantásticas, de galinhas e gatos pretos. Porém esta história é verídica e, foi vivida pelo Aurélio Dias, que apesar de viver em Lisboa, é uma figura bem conhecida na aldeia.

Numas das suas férias de verão, o Aurélio que é um exímio conversador, esteve como era seu costume, em conversa com outros, nas pedras do tanque, até altas horas da noite.

Quando finalmente regressaram às suas casas, o Aurélio decidiu fumar mais um cigarro, sentando-se para isso, nas escadas da igreja, dado que a casa dos seus pais, se situava de fronte à igreja, e por via disso, a sua mãe a tia Maria André, tocou durante anos a fio, ao anoitecer e ao amanhecer, as trindades.

Estava o Aurélio absorto a fumar, observando a espiral do fumo do cigarro, quando um gato preto vindo não sabe de onde, saltou do muro do adro da igreja para o centro da estrada, e dali, para o muro da Célia antes desta ter feito a casa.

 O Aurélio que inicialmente apenas se admirou com a destreza do felino, começou a ficar desconfortável, quando este, sem qualquer razão aparente, inverteu a direcção regressando com a mesma destreza, ao muro do adro.

O seu desconforto aumentou ainda mais, quando o gato reiniciou o número. Aí o Aurélio já não esperou para ver, correu para dentro de casa metendo-se na cama e, nem se lembra se chegou a despir-se.

No dia seguinte, o Aurélio perguntava a todos os vizinhos, se seria possível, um gato normal, dar saltos tão extraordinários.

Nuno Santos

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.