Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

O Dilema

outeiroseco, 03.11.11
 

 

Todos nós já fomos confrontados ao longo da vida com dilemas, uns mais fáceis de resolução, outros mais difíceis. Quero dar-vos testemunho de um dilema que me aconteceu, vai fazer 31 anos no próximo dia 24 de Agosto.

Todos sabem da minha paixão pelo futebol, e pelo Sporting, ora nesse dia 24 de Agosto de 1980, era um domingo, e por sinal, o dia em que se iniciava o campeonato nacional de futebol.

Na época os jogos disputavam-se todos à tarde, sem direito a transmissão na televisão, porque os jogos televisionados eram apenas os da selecção, e alguns jogos internacionais dos clubes, mas só quando se disputavam fora.

Ora, quis o capricho do sorteio, que, o primeiro jogo do campeonato fosse um Sporting – Porto. Como os adeptos andavam famintos de bola por causa do interregno do verão, durante a semana houve uma grande correria aos bilhetes, e eu claro, adquiri logo o meu na quinta-feira anterior.

Só que madrugada desse domingo a minha mulher, que estava já no final da gravidez entrou em trabalho de parto, e logo de manhã cedo deu entrada na maternidade Alfredo da Costa, onde após longo sofrimento dela, e trabalho aturado dos médicos e assistentes, só deu à luz às quatro horas da tarde.

Entretanto eu do lado de fora esperava ansiosamente por notícias que tardavam, e à hora da visita das duas da tarde, eu não tinha ninguém para visitar, porquanto, os trabalhos de parto ainda persistiam.

Vi-me então confrontado com o dilema – Sendo portador de um bilhete para o futebol, e com a próxima visita só às 19 horas, o que fazia eu ali especado do lado de fora à espera?

Resolvi então ir ao estádio José de Alvalade ver o jogo. Infelizmente o Sporting perdeu por 1-0, com um golo de Teixeira, mas em compensação, quando o jogo acabou, eu acabara de ganhar o meu filho Pedro, que para alegria do pai é também sportinguista, ainda que mais moderado, e ponha a razão acima da emoção.

A Celeste é que levou anos a digerir o facto de, à mesma hora em que ela sofria para ser mãe, eu trocara esse momento, para sofrer pelo meu clube. São dilemas difíceis de resolver, mas eu ainda hoje, acho que o resolvi bem.

Nuno Santos   

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.