Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Uma viagem inesquecível

outeiroseco, 27.04.12
 
  
  
  
  
  
  

O Joaquim a Carla e o Pedro foram dar um passeio cultural à Tunísia e trouxeram-nos algumas imagens que partilham convosco.

Alguns locais visitados:

A Grande Mesquita de Kairouan é a mais antiga mesquita do ocidente e a quarta maior do mundo. Segundo o islamismo, a cidade de Kairouan é o quarto lugar mais sagrado, a seguir a Meca, Medina e Jerusálem. Para os muçulmanos, esta mesquita, construída em 670 a.C., é uma das mais importantes, e a prova é que 7 peregrinações à Grande Mesquita de Kairouan equivalem a 1 peregrinação a Meca.

O coliseu de El Jem

El Jem remonta aos tempos romanos, quando tinha o nome de Thysdrus. Era uma das mais importantes cidades do Norte da África a seguir a Cartago (que actualmente se situa nos arredores da cidade de Tunis). O anfiteatro foi construído em meados do século III d.C. e podia acomodar mais de 35 000 espectadores.

Tendo caído num estado de ruína, os seus blocos foram usados para construir a cidade de El Jem, contribuindo também para a construção da Grande Mesquita de Kairouan, e o anfiteatro foi declarado Património da Humanidade em 1979. Mais recentemente foi usado para filmar algumas cenas do filme "Gladiador".

As famosas cavernas escavadas nas rochas

Matmata: Uma paisagem quase irreal, de aspecto lunar e árido, constituída por cerca de 700 crateras onde os berberes habitam em casas subterrâneas. Foi palco para as filmagens de “A Guerra das Estrelas

Matmata (em árabe: مطماطة) é uma aldeia berbere do sul da Tunísia, famosa pelas suas tradicionais casas trogloditas escavadas na rocha, muitas delas ainda em uso. A aldeia encontra-se a 40 km a sudoeste de Gabès, a capital provincial. Alcandorada no flanco da montanha, a 600 m de altitude, em 2004 tinha cerca de 1 800 habitantes

As casas trogloditas típicas da aldeia são construídas escavando uma  caverna numa encosta ou uma grande cova circular (ou poço) no solo. Neste último caso, são escavadas salas em volta do perímetro inferior do poço. Algumas das casas maiores têm vários covas, ligadas por uma espécie de trincheiras

Os Oásis de Chebika, Tamerza e Midès e tivemos que fazer este percurso de Jipe 4x4, foi muito bom.

Chebika, Tamerza e Midès estão entre  os mais famosos oásis de montanha na Tunísia. Os três ficam bastante perto da fronteira com a Argélia e  perto também de Tozeur (60 km ). A viagem Tozeur/Chebika parece longa porque as estradas são tipicamente de deserto, inclusivé mudando de  traçado, algumas vezes, em função dos ventos. Os ventos constroem e destroem dunas, mudando-as de lugar.

No tempo do Império Romano, esses oásis foram utilizados como pontos de observação, porque estavam em lugares altos de onde os romanos podiam comunicar-se com outros postos através de sinais com espelhos.

 

No meio do nada desértico da Tunísia, encontramos o Oásis de Chebika. Este mini paraíso encontra-se rodeado de palmeiras no qual está uma cascata conhecida pelos tunisinos como "A grande cascata do deserto". Esta bonita fonte de água impressiona, não por ser grande, mas porque está situada em pleno deserto e rodeada por uma beleza de cores que os nativos da zona nos vendem através dos seus tecidos, rosas do deserto, bules, tâmaras...

O Sahara onde andamos de dromedário, uma experiencia muito feliz.

O Deserto do Sahara ocupa cerca de 40% da Tunísia, sendo o maior deserto do mundo, com 10 milhões de quilómetros quadrados de superfície, estendendo-se por outros países do Magreb, tais como Marrocos, a Argélia e a Líbia.

 

Gabés: Cidade oásis, constitui a porta de entrada para o Sul e para o deserto do Sahara. O seu palmeiral junto ao mar é inesquecível.

Recomenda-se uma visita a estes locais, foi uma experiência única e inesquecível

5 comentários

Comentar post