Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

O Largo do Tanque

outeiroseco, 22.05.07

 

 

Com a recente expansão urbanística, Outeiro Seco, ganhou também novos espaços de lazer e recreio, referimo-nos ao pátio do solar dos Montalvões, e ainda ao espaço Arq.º Luís Montalvão, na Santa Ana. Mas ao longo  dos tempos, o largo do tanque, foi a nossa sala de visitas, o nosso salão de festas e mesmo, a nossa sala de estar. O que de mais relevante aconteceu na aldeia teve como fórum o largo do tanque. Presentemente, existem outros locais mais apropriados para reunião e discussão, como a sede da Junta, ou o auditório da Casa de Cultura, mas o largo do tanque, continua a ser o principal senado ou assembleia, embora muitas das vezes para se fazer contra informação.   Situado no centro da aldeia, a proximidade do rio com a constante requalificação das suas margens, dá a este local um ambiente agradável e acolhedor. Durante anos, este largo beneficiou ainda da sombra do centenário olmo do povo, a quem a idade e a doença que afectou toda esta espécie, levou ao seu abate na década de setenta. Antes do aparecimento dos cafés, era aqui que a juventude se reunia, em jogos populares no adro da Sra. do Rosário, ou nas lameiras do rio. À noitinha, era a vez dos adultos, que entre outros temas, trocavam experiências das suas lides rurais. Era o local dos leilões, de encontros e desencontros, pois aqui começaram muitos dos namoros, quando as jovens vinham com o seu cântaro à água. Afixavam-se aqui os editais, onde os jovens viam pela primeira vez o seu nome em letra de imprensa, nas listas que anunciavam a sua incorporação na vida militar. Esses mesmos jovens estouravam aqui nesse dia os foguetes, em sinal da sua emancipação. O largo do tanque era o local de partida e de chegada, sendo o único lugar de paragem das carreiras, também a intransitabilidade da maioria das ruas na época, impedia que os carros nelas circulassem. O largo tanque, tem sido dos locais de Outeiro Seco que mais obras de requalificação tem sofrido. Do passado guarda memórias nas pessoas que aí as viveram e a placa da data de uma dessas obras, a do ano de 1943.

Nuno Santos 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.