Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Outeiro Seco, Tradição e Modernidade

Aldeia transmontana

Poldras do Papeiro

outeiroseco, 24.06.07

 

 

Não têm a grandeza das poldras do Caneiro, mas para os outeiros secanos, as nossas poldras do Papeiro, são mais uma jóia do nosso património arquitectónico. Não se sabe a sua idade, mas o facto de estarem colocadas a sessenta ou setenta metros da ponte do Papeiro, dá-nos a ideia que serão mesmo anteriores à construção da ponte.

A existência da ponte muito próxima das poldras esvazia a sua utilização no quotidiano. No passado, os miúdos do bairro, à míngua de outras diversões, brincavam ao equilibrismo fazendo a sua travessia.

Nessas brincadeiras, muitos caíram à água, levando depois reprimendas das mães, ainda que benevolente, porque elas próprias na sua meninice, tinham também passado por essas peripécias.

Sendo um dos belos recantos da aldeia, tem ultimamente perdido alguma qualidade, muito em especial pela desertificação das casas envolventes, mas também, porque o rio tem ganho alguma poluição que outrora não tinha. Esperamos que num futuro breve este espaço possa recuperar a vida que já teve, e o leito do rio recupere a beleza de outrora em especial na primavera em que as flores das algas o transforma num belo tapete florido.

Nuno Santos.